Início
Energia do Bem: agora são seis os hospitais beneficiados PDF Imprimir E-mail
 

Mais um hospital filantrópico foi beneficiado nesta terça-feira (30) pela ação Energia do Bem, do programa de Eficiência Energética promovido pela Diretoria Comercial da Celesc Distribuição. O Hospital Nossa Senhora da Conceição, de Angelina, na Grande Florianópolis, recebeu R$ 65,3 mil para substituição de 422 lâmpadas, 304 luminárias e um condicionador de ar. "Quando o hospital recebe melhorias, quem ganha é a população. Acreditamos que os bons são maioria e agradecemos em nome das quase 300 irmãs franciscanas de São José", disse a Irmã Sandra Aparecida de Jesus, conselheira do Hospital.  Segundo ela, muitas pessoas serão atendidas e abençoadas pela Energia do Bem.

O presidente da Celesc, Antonio Gavazzoni, lembrou que além de mais qualidade para profissionais e pacientes, a ação proporciona economia de 20% a 40% na fatura de energia, dependendo do perfil dos equipamentos substituídos. "Esse recurso faz diferença na gestão dos hospitais e no dia a dia de quem trabalha pela saúde. É uma grande satisfação para a Celesc poder investir nessa causa. A cada hospital beneficiado, nosso ânimo se renova", disse.

José Nilto da Silva, representante da Secretaria de Saúde de Angelina, lembrou que a Celesc é parceira constante do Hospital. Também participaram da assinatura do termos de compromisso o diretor comercial da Celesc Distribuição, Dilson Oliveira Luiz, o gerente da Agência Regional Celesc Grande Florianópolis, Carlos Martins e o assistente da presidência, Ademir Mattos.

No total, 34 hospitais filantrópicos em 32 municípios catarinenses receberão melhorias no sistema elétrico na primeira fase da ação Energia do Bem, com investimentos de R$6,2 milhões. O mesmo valor será investido na segunda fase. Este ano o programa foi iniciado nos hospitais São Marcos, de Nova Veneza; Santa Otília, de Orleans; Henrique Lage, de Lauro Muller; no Hospital Regional de Araranguá, no São Francisco, em Santo Amaro, e agora em Angelina, com investimentos de R$ 606  mil nos seis hospitais.

angelina.jpg